World Piano nº2 – Escrito com lápis de olho.

 

 

(for english switch to the english flag!)

Estive na Eslovênia em julho de 2012 e fiquei encantada com esse país que fica escondido entre Itália, Áustria, Hungria e Croácia. Um destino pouco comum para brasileiros em visita à Europa, mas que vale a pena por seu charme, suas belezas naturais e hospitalidade.

mapa da Eslovênia

 

 

A história musical do país já vem de longa data, lá foi achado o instrumento musical mais antigo conhecido no mundo, uma flauta, descoberta na caverna Divje Babe que data da era glacial quando os Neandertais moravam na região. Da flauta primitiva até nosso piano, muitos anos de evolução em fabricação de instrumentos. É interessante observar como as civilizações primitivas construíam suas flautas, seus tambores, instrumentos rústicos que faziam parte do dia a dia e expressavam os sentimentos e conflitos do homem daquela época, e o quanto isso foi mudando ao longo do tempo. Mesmo com séculos de distancia, sua função não mudou e continuamos a inventar instrumentos, com a mesma função, a de traduzir nossos anseios no mundo atual, com seus recursos e limitações. Será que daqui a mil anos, olharemos para os pianos, sintetizadores, computadores e acharemos todos precários e limitados? Provavelmente sim. O tempo e sua seleção natural, sua capacidade de reciclar o velho.

Houve uma época em que o piano não era o leão soberano dos instrumentos, antes havia o cravo; e antes do cravo os instrumentos de teclado praticamente não existiam e a menina dos olhos era o violino. Antes disso, a lira e a flauta, e no começo de tudo, a voz. Cantamos a saudade de casa, o amor, o medo, a guerra.

O território da Slovenia é marcado por constantes mudanças territoriais e vivenciou todas as transformações da Europa Oriental. Já pertenceu aos impérios Romano, Bizantino, República de Veneza, Ducado da Carantania, Sacro império Romano-Germânico, Monarquia de Habsburgo, Império Austríaco, Austro-Hungaro, Reino dos Sérvios, Croatas e Esloveno, depois Reino da Yugoslávia, República Socialista Federativa da Yugoslavia até sua independência em 1991!! Hoje, faz parte da zona do euro e o país todo tem quase 2 milhões de habitantes! Não vou nem mencionar quantas pessoas existem só em São Paulo.

A capital da Slovênia é a cidade de Ljubljana (pronúnciamos: Lubliana), a cidade não é muito grande, mas é imensa em carisma. Anda-se a pé por todos os cantos, o prédio da Opera Nacional é muito bonito e vale a pena a caminhada ao longo do rio que corta a cidade, as pontes do Dragão e a  Butcher’s Bridge, que nos leva ao mercado central, na qual casais apaixonados fecham cadeados no arame da ponte, fazem juras de amor e jogam a chave fora… A cidade tem muito verde – alias o país é inscrivelmente bonito com paisagens arrebatadoras, como o lago de Bled e o pico Smarna Gora.

vista do lago Bled
vista do lago Bled

Nosso piano fica em um café/restaurante descolado chamado Gostilnica XXI na rua Rimska, 21. O lugar possui mesas na calçada e uma parte interna para os dias de frio. O restaurante não é muito grande e o piano fica logo na entrada, próximo ao balcão. Artistas locais de folk e outros gêneros tocam frequentemente, e a banda se espreme na sala junto aos convidados. O piano é da marcar Werner preto de ¼ de cauda e estava afinado, seu teclado é leve e a tampa fica fechada pois o restaurante o usa como mesa para guardar alguns copos, talheres e coisas gerais de restaurante. Nas minhas pesquisas sobre a marca, me deparei com 4 fabricantes de piano com o mesmo nome, parece que Werner é um nome popular nos paises de origem germânica. A fábrica mais antiga é de 1810 e fica em Dresden, na Alemanha, e era comandada por Paul Werner. Outra possibilidade é que o piano seja de Berlim, fabricado pelo renomado construtor de piano Ed Werner, que fundou sua fábrica em 1881. Há também a fábrica Werner F.W., de 1845, na cidade de Döbeln também na Alemanha. Por último, existe uma Werner Piano Co 1902, em Chicago, nos Estados Unidos. O dono do restaurante não estava no momento em que o post foi gravado, tentei contacta-lo, mas até agora não obtive resposta. Se um dia conseguir desvendar o mistério, conto para vocês. Mas por dedução, acredito que de Berlim ou Chicago o piano não veio, pois os logos das marcas não condizem com o logo impresso no corpo do piano, o que nos deixa com Werner F.W. e Paul Werner. Façam suas apostas!

festa no Gostilnica XXI
festa no Gostilnica XXI

Toquei um arranjo da canção Por Causa de Você, de 1957, de Tom Jobim com letra da Dolores Duran. É um samba-canção precursor da bossa nova e tem uma história ótima. Tom estava trabalhando na música com Vinícius de Moraes quando foi fazer uma visita à Rádio Nacional, a emissora mais importante do país na época. Lá encontrou Dolores em um quarto de ensaio, ao mostrar a canção, Dolores não teve dúvida, pegou o lápis de olho e escreveu a letra de Por Causa de Você. Sabendo que a outra letra já estava sendo elaborada pelo poeta, a cantora mandou um recadinho: “Vinícius, outra letra é covardia”.  E Vinícius gentilmente cedeu sua vez como letrista para Dolores. Este relato está registrado, pelo próprio Tom, no disco Antônio Carlos Jobim em Minas, ao Vivo, álbum obrigatório para qualquer amante de piano e voz.

Outras versões famosas da canção são de Elizeth Cardoso, em 1958, e Maysa, em 1964. Foi regravada em francês por Silvia Telles, chamada “Gardez moi pour Toujour” (tradução: “Guarde-me para sempre”) e ninguém mais do que Frank Sinatra gravou uma versão em inglês, de Ray Gilbert, chamada “Don`t Ever go Again” (tradução:  “Nunca se vá”), em 1971, no disco Sinatra & Company.

Pianos, canções, lápis de olho, vários Werners, dragões e um país tão simpático que quase se apropria de uma palavra: saudades.

Um beijo, até o próximo piano!

Alessa

Video: Adriana Camarinha

Ps: Um agradecimento especial a Nina Ogrinc e Luka Mladenovic por serem tão amáveis e agenciarem este post para mim. Para todos do Gostilnica XXI pela gentileza.

Dragon Bridge
Dragon Bridge

  • Alessa, muito legal a sua historia. Lembrei de vc. quando fui a casa de cultura Mario de Andrade e tive a cara de pau de pedir para tocar no piano do proprio. Foi bem emocionante. Gostaria de ir com vc. la um dia ouvi-la.
    Continue assim.

    Um abraco do Eudoxios

    • Alessa em 17 de March de 2013

      Uauuuu!!! que relato mais incrível!! onde fica a casa de cultura mario de andrade???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *