Orgía

 

 

amostras da trilha | OUVIR COM FONES DE OUVIDO (para melhor efeito binaural)

Gravação, edição, mixagem e concepção sonora binaural | Alessa

Realização | Teatro Kunyn

Direção | Luiz Fernando Marques

Atuação | Ronaldo Serruya, Paulo Arcuri e Luiz Gustavo Jahjah

Dramaturgia Primeiro e Segundo Ato | Teatro Kunyn

Dramaturgia Terceiro Ato | Alexandre Dal Farra

Direção de Arte | Yumi Sakate

Livremente inspirado nos diários íntimos de Túlio Carella, dramaturgo e diretor argentino que nos anos 60 lecionou teatro na Universidade Federal de Pernambuco ORGÍA OU DE COMO OS CORPOS PODEM SUBSTITUIR AS IDEIAS é dirigido por Luiz Fernando Marques. A montagem, que acontece dentro do Parque Trianon, em plena Avenida Paulista, se apresenta como um grande percurso, onde a plateia munida de aparelhos de mp3 faz uma jornada sensorial pelo parque.

Para recriar um ambiente sonoro mais imersivo, a concepção sonora dos diálogos e inserções musicais da peça foi feita com gravações binaurais. Ao longo do percurso, paisagens sonoras imaginárias eram inseridas no contexto da peça, criando uma realidade aumentada do parque.

Dividido em três atos, o espetáculo – encenado apenas para 21 pessoas por sessão com ingressos gratuitos – se apresenta para a platéia como um grande trajeto, um jogo, que ela percorrerá ora sozinha, ora acompanhada, ora conduzida pelo atores, ora deixando-se levar por sua própria intuição e coragem.

Orgia estreou no Parque Trianon – São Paulo em Julho de 2015.