Montagem

MONTAGEM são quatro performers transportando segmentos musicais em caixas de papelão, gerando encontros, choques, arranjos, sobreposições, paisagens e imagens. Uma situação quadrada e crua, artificial e selvagem. É uma coreografia sonora, uma mixagem mecânica de um som digital. É mover música.

Como a idéia inicial era “mover música”, desenvolver uma trilha em multicanal demonstrou-se adequado. No entanto, esta é uma peça quadrifônica móvel. Os objetos, além de ser móveis, precisavam ser leves de manusear, fáceis de operar e ter uma presença, não só sonora, mas performática. Foram construidos circuitos de amplificação simples, alimentados por bateria e conectados no celular das performers. Cada caixa/performer tinha um pedaço da trilha, e a totalidade dela se dava pela interação entre caixas/performer e o espaço dançado. Elas operam/dançam a mixagem dos sons no espaço quadrado onde os espectadores participam.

MONTAGEM estreou no Festival Música Estranha 2016 – São Paulo, ficou em temporada no SESC Pompéia em Agosto de 2017.

Essa pesquisa foi iniciada com apoio do Instituto Goethe São Paulo e Lote Osso, dentro do projeto de Bruno Levorin (“So you want to be a mover?”). Apoio a residência artística: Casa Juisi. Um agradecimento à Key Sawao e Ricardo Iazzetta; Lote Osso e Casa do Povo.

Música e objetos sonoros | Alessa

Concepção e Coreografia | Elisabete Finger

Pesquisa | Beatriz Sano, Júlia Rocha, Patrícia Bergantin, Priscila Maia, Barbara Elias, Josefa Pereira e Danielli Mendes.

Performers | Barbara Elias, Natália Mendonça, Josefa Pereira e Patricia Bergantyn

Produção | Carolina Goulart

Fotos | Debby Gram e Tiago Lima