Piano nº 2 – Biblioteca da PUC-SP – "Simbora Batiria!"

Saguão da biblioteca da PUC-SO

 

Olá amigos,

Continuemos a caça aos pianos…A edição desta semana foi feita no saguão da biblioteca da PUC-SP. Sim, eles têm um piano no meio da biblioteca! Mas não faz barulho? Faz. Mas não atrapalha? Não. A biblioteca tem um saguão de entrada e o piano fica nesse espaço que também é dedicado para exposições. É um piano de armário, sua afinação não está nos melhores dias, mas é tocável. O peso das teclas está desbalanceado também, mas estão todas lá funcionando. O instrumento tem muita projeção de som e é bem brilhante. O piano tem uma função de entretenimento para os eventos do saguão e é um jeito tímido que a PUC encontrou de incentivar o talento artístico de seus alunos. É só chegar, dar o RG em troca da chave do piano e tocar.

Quando cheguei, uma exposição estava sendo montada e a inspiração deles foi a obra do pintor holandês Bruegel, da idade média. São 118 provérbios e cada artista da exposição escolheu um e fez sua obra com base nele. Segundo nossa querida Wikipédia, este trabalho do pintor tem como tema o absurdo, a fraqueza e a loucura do ser humano.

Eles escolheram Bruegel e eu escolhi para este post o Carnaval. Coincidentemente, absurdo, fraqueza e loucura também fazem parte desta festa. Mas acho que aqui o tom é mais festivo.

Aprendi a gostar de carnaval faz pouco tempo. Tenho até receio de revelar isso, parece que estou jogando pedra na cruz do meu gene brasileiro, mas é a verdade. Acho que os culpados foram os amigos que fiz quando vim pra São Paulo. A pessoinha que vos fala é uma mera garota do interior. Cheguei na capital, com o sonho do migrante, para fazer faculdade. Onde? Na PUC-SP (!!!). Antes de entender que a música seria para sempre na minha vida, fiz um pit-stop pelo curso de jornalismo. Me formei, hoje meu diploma está em algum lugar do meu armário de partituras.

Mas ter feito esta parada foi essencial para eu entender a escola de samba que vive em mim. Foi neste período que eu comecei a de fato escutar samba, comecei a gostar de praia, entendi que boemia não é necessariamente coisa de vagabundo, fui ficando morena e deixando o loiro platinado para trás. Não, eu não comprei uma saia indiana, nem colares de semente, nem entrei pro maracatu. Nada contra, mas não era o meu estilo…

Como estamos na ressaca do carnaval e o baile acabou, escolhi tocar algo de passo mais lento e que me lembre meus tempos de aspirante em jornalismo. Lá, escutei muito Cartola, portanto resolvi homenageá-lo com uma versão de Divina Dama. Tom de fim de festa, eu sei, mas a gente adora uma boa balada lenta. Aquela decadência fina e elegante.

O prédio que eu estudei na PUC foi derrubado no final do ano passado. Vão construir um novinho e a Comfil (Faculdade de Comunicação e Filosofia) de antes não existe mais. Estranho como a paisagem muda ao longo do tempo e te expulsa daquele lugar, daquela história. Achei que iria me reconhecer para sempre por aqueles corredores, hoje eles nem existe mais, só existem na minha lembrança. Acho que isso deve ser um mecanismo de auto-proteção do enredo da vida, com a finalidade de empurrar a ala pra frente.
“Simbora bateria” !!!!

Um beijo e até o próximo piano!

Alessa
23/02/2012

ps: Um agradecimento especial ao Maurício Thadeu Rodrigues Alves da biblioteca por ser tão atencioso, um beijo para minhas amigas de PUC-SP e para Natália Lago que canta esta música lindamente.

  • Mel em 05 de March de 2012

    Muito bom o texto, leve e divertido. Bom para iniciar o período mais longo do ano, do carnaval ao ano novo.

  • Flavia Yumi Sakate em 07 de March de 2012

    lindo, cenorita.

  • em 07 de March de 2012

    Arrasou! Tem bastante gente que não gosta mesmo do carnaval né? Não entendo, é meu feriado favorito!!

  • Natália em 09 de March de 2012

    Delícia de texto, Alessa! E a música ficou linda 🙂

  • Rosimar em 25 de March de 2012

    Adoro ler suas histórias Alessa. Estou amando!

  • Ana em 04 de April de 2012

    obrigada, Alessa!

  • Aline Maia em 04 de April de 2015

    Acabei de comentar num outro post seu, e agora que vi que vc fez PUC também! Já estudei tanto nesse piano !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *