Piano nº 4 – Cronometrando o pôr do sol.

 

 

 

 

O telefone toca:
– Alô!?
– Olá Alessa tudo bem? Bla bla bla, blabla blabla o teu blog…Bla bla bla, aqui é a revista da Folha de São Paulo, blabla bla blabla bla, (muitos blablas…)
– !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
– Blablablablabla (mais alguns blas)…O que acha do Terraço Itália???
– !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
– Então combinado!
– Ok, estarei lá!
Desligo o telefone.
– Manhêêê!!! A Folha de São Paulo….Blablabla, não o jornal, a revista…..blablabla, Terraço Itália!!! Terraço Itália!!!!

A internet é realmente um meio de comunicação impressionante, é um disse que disse, compartilhou que compartilhou e quando a gente vê recebe um telefonema destes. Um post de gala! Sem desmerecer os outros que são tão queridos, mas este eu vou ter que ir maquiada.

Como meu acompanhante para o baile chamei meu amigo Agustin Oroz, diretor de video, que entrou para a festa do blog para me salvar no quesito visual. A cavalaria chegou!! Agora com companhia, fomos quixotescamente até a torre de vidro do Edifício Itália. Lá em cima nos aguardava a vista mais bonita de São Paulo, no restaurante que não precisa de apresentações, Terraço Itália.

Lembro do nome “Terraço Itália” das conversas de meu avô e minha avó, sempre com um tom de glamour, como se lá existisse um portal para um tempo maravilhoso de elegância, para anos dourados.

Subimos os 47 andares, 165 metros de altura e entramos no lobby do fino piano bar. E como Chico Buarque já descreveu o Rio e agora empresto suas palavras para falar de São Paulo, uma vista de “arrombar a retina” se impôs diante de nós. Acredito que lá seja o único lugar da cidade que se consegue ver o horizonte de fora a fora, 360 graus de cidade para se perder de vista. É muito alto! Engoli seco o meu medo de altura e cheguei bem perto da beirada para saborear a vertigem.
Esperando nossa visita, estava o piano tcheco August Förster de 1890 de 1/2 cauda, sua madeira de coloração puxando levemente para o alaranjado. Seu som é macio e o grave brilhante e gordo. Outros ilustres que também gostavam da marca tcheca, foram Richard Strauss e Sergei Prokofiev.

Este piano foi comprado na Itália na época do pós guerra, pelo falecido Evaristo Colomatti, empresário fundador do restaurante. Ele veio de navio para o Brasil e foi erguido por guindastes às alturas até atingir os 47 andares. Que vontade eu tenho de entrar numa cápsula do tempo para ver esta cena! Existiam fotos, mas elas foram perdidas em um pequeno incêndio no almoxarifado do Terraço. O piano está lá desde a inauguração em 29 de setembro de 1967, há 45 anos.

Escolhi um jazz de George Gershwin para cantar, o clássico e elegante “The Man I Love”. Fiz o arranjo desta canção há algum tempo, mas gosto tanto dele que achei apropriado oferecer àquela vista algo que me fosse muito querido.

foto: Agustin Oroz

Para descobrir as histórias do piano conversei com o encantador Elizeu Carlos Storion, diretor artístico do Terraço e também o homem por trás do August Förster. Ele senta na banqueta daquele piano praticamente todos os dias há 26 anos.O Terraço tem 4 ambientes com música ao vivo todos os dias. Segundo seu Elizeu era como o fundador Colomatti queria. “É a filosofia da casa.” O restaurante teve sua época de ouro nos anos 70 e era frequentado pelos poderosos e ilustres, dentre eles; Antonio Ermírio de Moraes, FHC, Nicette Bruno e Paulo Goulart, além dos músicos Chico Buarque e Cauby Peixoto. Nesta época as madames vinham dançar e mostrar suas jóias exibindo estilo lá do alto para a cidade toda.

Clientes fiéis vem e ritualisticamente sentam no mesmo lugar, bebem a mesma coisa há anos, casais apaixonados se pedem em casamento, empresários fecham negócios…tudo ao som do piano tcheco e de seu Elizeu.

Contudo, a época Collor ofuscou a trajetória do Terraço Itália que hoje, mesmo de folego renovado, luta para manter o clima de prosperidade em um centro da cidade cada vez mais entregue ao crime e ao abandono.

Seu Elizeu se considera um privilegiado, ele vê o sol jogar seu charme pelos prédios monótonos e cinzas como quem diz “olha como eu sou dourado…olha agora eu de laranja… olha agora meu tom rosado”, saindo à egípcia e dando lugar ao azul marinho depois nanquim da noite, respingada de mini luzes dos prédios todos. A vista inteira muda, um verdadeiro chão de estrelas.

Ele gosta tanto deste momento que passou um tempo cronometrando este ballet nas diferentes estações do ano. Há 26 anos, seu Elizeu contempla esta vista, sabe onde está tudo. Lentamente foi testemunha da cidade, viu ela se esparramar a perder de vista, invadindo a Cantareira, trocando o cinturão verde do Pico do Jaraguá pelo cinza dos prédios.

Ele, de Bariri, interior de São Paulo, o piano, da Tchecoslováquia. Ah.. o sonho dos migrantes…

Um beijo, até o próximo piano!

Alessa
30/03/2012

video: Agustin N.Oroz

ps: Amo vocês, mas este vai para os meus avós que brilharam os olhos quando contei isso tudo para eles.

ps2: Gilberto Dimenstein falou do meu blog também esta semana! Bloguinho tá causando…!!

  • Rosimar em 01 de April de 2012

    Ansiosa para ver como havia ficado, acordei e logo fui para seu blog conferir. Abri o blog e me deparei com um cenário lindo de São Paulo. O dr entrou no quarto e me pegou emocionada escutando sua música . Filha parabéns pelo trabalho!!!!!

  • Rosana em 01 de April de 2012

    adorei!! essa moça tem muito talento!!!sempre q vejo ela se apresentar me emociono!! bjusssss

  • Edu em 01 de April de 2012

    Alessa seu projeto é muito legal. Eu sou desenvolvedor e estudante de piano, se precisar de ajuda para criar apps para celular me de um toque, adoraria contribuir!

    • Alessa em 01 de April de 2012

      Olá Edu!!! Vamos conversar sim, vou anotar teu email!

  • Vc escreve como se estivesse compondo uma música, combinando as palavras como numa poesia. E é assim que canta também.

    Serei sempre sua fã e uma torcedora convicta do seu sucesso.

    Parabéns!!!

  • Ah, demais! Repercussão mais do que merecida!

    Texto inspirador! Poucas coisas movem mais do que uma bela vista ..
    Arranjo belíssimo, parabéns! Realmente!

    Beijos

  • Que linda… que chique… que lindo… que linda…. parabéns… que linda….

  • Juliana em 01 de April de 2012

    Oi Alessa, a matéria na revista ficou ótima..e como em algum momento sugeriram desafios…há um piano no Atrio do Hospital Albert Einstein. Estive lá um dia e me emocionei quando um senhor sentou e como você, começou a tocar….Mudou a cor do hospital…ficou iluminado…!
    bjs e boa sorte!

  • Fabiola em 02 de April de 2012

    Alessa, parabéns!! O texto, as fotos, o vídeo estão lindos! Parabéns por toda a repercussão do blog, muito merecido por todos seus anos de estudo e trabalho! Te admiro muito, grande beijo.

  • Raphael Prats em 04 de April de 2012

    Olá Alessa! Muito legal o trabalho, me informei desse projeto no site da Folha!
    Me formei em engenharia na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Lá (Entrada pela rua Piauí, ou Consolação – Higienópolis) existe um piano no prédio 01. Esse piano é público e o local é muito inspirador, tombado pelo patrimônio, assoalho de madeira.
    Lá me interessei por piano e comecei a fazer aulas.

    Boa sorte!

    • Alessa em 04 de April de 2012

      Olá Raphael, uma outra pessoa comentou deste piano no Mackenzie. Você por acaso saberia com quem eu devo falar!?

      • Raphael Prats em 04 de April de 2012

        Alessa, no mesmo local aonde se encontra o piano, há uma secretaria. Lá você se cadastra para usar o piano. Qualquer coisa pergunta pros seguranças do Mackenzie que ficam na portaria próxima ao prédio, eles te passam as informações.
        Eles são bem receptivos.

        • Alessa em 05 de April de 2012

          Valeu Raphael, se você tiver face curta a minha pagina, que quando eu fizer no Mackenzie eu te aviso!

  • Olá Alessa, parabéns! Sua idéia é linda e cheia de talento. É desse tipo de iniciativa que precisamos para seguir elevando a qualidade da música. Experimente cantar suas músicas próprias, se você for compositora. Não tenha medo de mostrar seu trabalho autoral! A música brasileira (e mundial) precisa de renovação em todas as áreas, do popular ao clássico. Emocionante seu projeto!

  • Alessa,

    Sou jornalista e gostaria de fazer uma entrevista contigo para revista de cultura. Poderíamos trocar emails?!? Atenciosamente,

    • Alessa em 05 de April de 2012

      Olá Ivna, te adicionei no facebook, conversemos por lá!? Ainda não consigo te mandar uma mensagem privada com meu email, preciso de tua autorização.

  • Olá Alessa,

    Há um piano de cauda na Faculdade de Enfermagem, dentro do Hospital das Clínicas.

    Abraço!

  • Eunice Cristina em 09 de April de 2012

    Olá, Alessa! Seus textos e sua música têm me proporcionado doces momentos de emoção e contentamento. Parabéns pelo trabalho e boa sorte sempre!

    • Alessa em 09 de April de 2012

      Obrigada Eunice, é muito legal quando a gente faz um negócio espontâneo e vê que causa isso nas pessoas. Obrigada por compartilhar essa alegria comigo.
      Beijos
      Alessa

  • Alessa, vi a matéria da Folha e achei esse seu projeto genial, sempre fui apaixonado por piano porém nunca estudei, com esse seu projeto me animei muito pra começar a aprender e já estou no processo! Estou deixando essa mensagem pois faço vídeos e gostaria muito de te ajudar com o seu próximo, se tiver interesse entre em contato, abraços e parabéns!

    • Alessa em 17 de April de 2012

      Olá Pedro, obrigada pelo comentário e que bom que você está criando coragem para aprender!! Fico feliz, obrigada por se voluntariar para me ajudar nos vídeos. Mas já estou sendo assessorada neste quesito, mesmo assim agradeço!

  • Daniela Sanches Sartorato em 03 de May de 2012

    Alessa,

    Parabéns pelo trabalho inspirador!! O blog é pura cultura (textos belíssimos e carregados de história e músicas lindas). Você é extremamente talentosa. Ontem fiquei surpresa e orgulhosa ao ver a matéria na Globo News e constatar o sucesso de uma filha da PUC. 😉

    Beijos e mais sucesso. Continuarei acompanhando.

    Dani Sartorato

    • Oi Dani!! Quanto tempo!! Obrigada pela mensagem, como a srta está?!! Saudades, bjs!

  • Pingback: Blog nº 9 – O Som da Oficina. | Alessa, a Cidade e os Pianos

  • Thaire em 01 de November de 2012

    Olá Alessa, tudo bem?
    Em uma pesquisa no Google sobre o meu Pai * Elizeu Carlos Storion *, me deparei com esta linda reportagem em seu blog. Não a conhecia, mais já me encantei. Passei minha infancia, adolescencia e hoje passo minha fase de adulta dentro dest ambiente tão maravilhoso e incrivel. Parabens pela reportagem e pelo Blog. Irei mostrar ao meu pai… !!!!

    • Alessa em 01 de November de 2012

      Olá Thaire!!
      Que maravilha do destino te encontrar por aqui!! Vou confessar que de todos os posts que já fiz, eu tenho um carinho especial por este que teu pai foi personagem. Foi com ouvindo a história dele que eu entendi qual seria o caminho artístico do projeto. Acho que nunca mais esquecerei teu pai. Infelizmente não pude conhece-lo ao vivo. Falamos ao telefone. Mas ele virou uma espécie de amuleto da sorte pra mim. A história dele e a sua, no Terraço é muito curiosa e bonita. Parabéns e obrigada pelo recado! Por favor mostre para ele sim, eu ficaria imensamente agradecida!!
      Um beijo,
      Alessa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *